21 de mai de 2011

LIBERDADE


Liberdade,


A tempo quero falar sobre  Liberdade, o que realmente é liberdade!, se temos liberdade! etc. Então encontrei este texto onde achei muito bom.
A  liberdade sempre foi um dos maiores anseios e preocupações do ser humano. Aristóteles diz que é livre quem tem em si mesmo o princípio para agir, aquele que é a causa interna de sua ação ou de  sua decisão de não agir. A decisão representa um ato voluntário, não precisando de um agente externo. Arthur Schopenhauer propõem a liberdade como uma qualidade negativa porque é a ausência de impedimento de qualquer natureza. Ele divide a em liberdade física, intelectual e moral, cada qual com suas limitações.
Até que ponto existe a liberdade absoluta, já que sempre haverá limitações, necessidades e empecilhos na ação individual?, em detrimento do meio externo, influencia e trazem reflexo no individuo. Na Doutrina Espírita entendemos que sempre terá o impedimento da liberdade absoluta. Pois duas pessoas convivendo no mesmo ambiente haverá direitos e deveres a serem respeitados e por tanto limitações á liberdade de cada um. O direito de um termina, quando começa a do outro. Somente em um lugar o homem não sofre o cerceamento da liberdade. É pelo pensamento, nele o homem goza de liberdade sem limites, nos esclarece os espíritos superiores. Mas também nos advertem: O ser é responsável pelos seus pensamentos, teores e direcionamento perante Deus, segundo Sua justiça.
O individuo, assim como a coletividade, necessita de regras que regulem as relações entre sí e com o mundo, de outra forma haveria o caos ameaçando a própria existência do homem. O homem tem o livre-arbítrio de pensar e então agir, se não fosse assim, seria uma máquina e, quando agisse para o mal, não poderia ser responsabilizado, e assim como o bem, não teria mérito. Sendo no espírito, a liberdade consiste no mundo espiritual e é condizente com o grau evolutivo, nunca havendo fatalidade nos atos da vida moral do individuo.
A cada um compete utilizar da razão e do bom senso para julgar e escolher livremente qual a forma que lhe parece melhor de viver e agir, tendo a consciencia de que reponderá sempre pelas opções tomadas. Fazer todos os esforços para agir no bem, com ética e caridade é entender o preceito enunciado por Jesus: a cada um segundo as suas obras, nos alertando ainda que a SEMEADURA É LIVRE, A COLHEITA OBRIGATÓRIA. Obrigada.
Obs: Kardec. Allan Livro dos espíritos.  questões 833 e 834. Algumas parte reduzi e coloquei meu entendimento para ficar menor para a postagem.









Um comentário:

Noemi Szcypula disse...

Quem bom. Hoje por motivos que julguei justissimo, dei ordem para alguém, depois me senti culpaaada! mas..vc me diz que o direito de um começa onde termina o do outro. bjs.