11 de mai de 2010

Um carinho valioso

. Conto  para voces duas situações de vidinhas salvas. Tenho um filho que por privilégio, já esteve em suas mãos por duas vezes um beija flor. A primeira quando com 6 para 7 anos de idade, paramos para almoçar na estrada, eis que de repente entra no nosso carro um beija flor. Fechamos o carro, seu pai pegou  o com muito cuidado e colocou na mão de seu filho para ver a beleza do animalzinho. Realmente um ser lindo! com suas penas azuis turqueza, verde escuro brilhante. Pedimos cuidado e saímos para fora do carro e ele soltou o para voar, como é sua natureza e não esquecemos de dizer isso a ele. Recentemente essa cena se repetiu com ele de novo, só que agora adulto, pai de uma linda menina hoje com  4 anos e meio, em sua residência em Minas. Um beija flor entrou e não conseguia sair, então ele com muito cuidado conseguiu pegá lo (garanto a voces que o danadinho deu um olé) nele.Segurou o Beija flor, mostrou para sua filha, permitiu que ela fizesse carinho, visse suas cores lindas e seguimos para o terraço para dar a liberdade. A cena me emocionou pois naquele momento me veio a cena de 30 ano atrás.e eu alí presenciando.
A seguinte , eu e outra filha estávamos caminhando em Floripa, então ela me disse Mamãe! acho que o passarinho está morrendo, eu como não consigo mais enxergar direito, segui seu caminhar, ela foi na direção do animalzinho. então vi ele tombando. Ela pegou ele na mão, e ficamos aflita, pois para nós ele estava morrendo, abria o biquinho, meu Deus! um ser tão pequenino em sofrimento. Chegou próximo de nós um senhor e nos disse que eles se confundem com os prédios espelhados, daí então olhei para cima, pois estávamos em frente a portaria do mesmo. Realmente dá se impressão de continuar com a paisagem que tem na frente, que no caso era muitas árvores e céu. Continuando no passarinho, o moço pegou o e disse que ele só estava tonto e que colocando água em sua cabecinha ele voltaria logo. Lembrei que carrego água para beber comigo, mais que depressa colocamos agua nele, interessante que realmente ele reagia, vimos que ele estava melhorando e confiamos no moço, deixamos com ele e seguimos nosso caminho. Alguém poderá dizer: com tantas coisas que temos que nos preocupar? mas são vidas, não importa o tamanho a raça, temos o dever a caridade de preservamos, cada um na sua natureza. Todos somos filhos de Deus, pois fazemos parte desse universo fantástico. Fico com pena que os Arquitetos, engenheiros não se preocupem. Tolice, ingenuidade minha, nem com as pessoas com necessidades especiais eles se importam! imagine com os passarinhos tão pequeninos.Mas o que me alegra é que meus filhos, tenho tres, sei que importam com a vida,
OBS: Uma dessa cena foi registrada.




Um comentário:

Talarico disse...

É mamãe...
Nem vou falar que você me emocionou como sempre.
Te amo muito.