10 de jan de 2010

"Quer comprar uma rede?"

Quero me penitenciar. Recentemente estava no ponto do coletivo esperando por ele. Daí a pouco só reparei que chegou um rapaz com aquelas famosas redes para vender, empurrando as em um carrinho, todo suado, cansado, me perguntou algo, eu na minha ignorância tamanho do mundo e nos conceitos pré concebido! fiz sinal com a cabeça que não queria, pelo menos dei um leve sorriso junto. Até aí nada de mais não é?, pois então! ele tornou a perguntar, fazendo sinal com a mão, se alí era o Bairro de Fátima. Tóiiiiiiiiiiiig, que vergonha, respondi que sim, e o determinado lugar que ele queria, três meninos adolescentes que estavam ali souberam explicar. E eu com a cara de tacho, não tinha ouvido o que ele perguntou, mas no meu conceito idiota! pensei deve querer que eu compre.Poderia ter perguntado o que ele queria, daí sim responder.Tirando lição sobre isso, vejo como temos preconceitos, se eu que estou deficiente tenho! como quero que outros não os tenha comigo? só muda a situação. Aquele jovem trabalhador, sabemos que são explorados, ficam longe de suas famílias, vivem como animais em alojamentos, vem atrás do sustento de suas família. Nossa! fiquei brava comigo, por não perceber um ser humano na sua essência. E eu pergunto? precisaria isso? num país que se diz indo para o primeiro mundo? Mentira! e mais mentiras. Há! esqueci de dizer que realmente somos os primeiros em gastar com salários dos políticos. Não! Na real somos o numero 1 nesta lista, em roubar o povo, em corrupção, o povo que se lixe, mas e daí Izabel! somos nós que colocamos eles lá, não fazemos nada! Só que, as propaganda são feitas para as pessoas simples, do interiorzão, dos sertões que se contentaram com mísero auxílio bolsa família de 35,00 sei lá! quanto. Claro que isso não justifica minha ignorância em pré conceber, julgar alguém. Mas a lição me serviu, que bom que na hora eu percebi, embora não tenha me desculpado por vergonha.
Que Deus proteja aquele jovem e outros tantos e me compreenda na minha pequenez. Fiquem com Ele.
Beijos
Izabel Talarico

3 comentários:

Noemi Szcypula disse...

Muito boa sua postagem, e que legal que voce é muiiiiito humana também, todos somos assim assim... né precisamos enxergar melhor as pessoas que são iguaisinhas à nós.
E.T. ficoi sabendo da gefe do Boris Casoy? ele fez uma reportagem sobre garis e quando encerrou sem saber que seu microfone estava ligado soltou essa: "Que merda, dois lixeiros se desejando Feliz Natal do aouto de suas vassouras" Isto é uma vergonha!!!

Graziella disse...

Um dia vou postar como sao os jovens aqui!! muito interessante!! Precisamos para com esses pré conceito!!

Anônimo disse...

amiga, não se preocupe pois todo mundo éstá sujeito a cometer gafes, somos todos iguais, não importando as diferenças.Jú.