1 de out de 2009

"Envelhecer"

Hoje é o dia do idoso, como no Brasil, temos dia para comemorarmos tudo! então que seja dia do idoso. Venho pensando a dias, mesmo sem me da conta desse dia, devido a comportamentos inadequados de pessoas idosas, falar um pouco sobre isso. Estou na adolecencia da terceira idade, como já vi pessoas dizerem assim!, não acho ruim. O que me pega é pensar que somos pessoas inteligentes, estudamos, trabalhamos, nos apaixonamos, nos vestimos bem de acordo com nossa idade para não nos tornarmos ridículos. Mas parece que tem muitos idosos que acham-se no direito por estarem na terceira idade com direito a tudo, acham que com a chegada da velhice desaprendem o que é educação. Só pensam nos seus direitos, tenho o direito!!! sou idoso (a), os deveres eles ignoram. Nem nós como deficientes escapamos dessas atitudes, idiotas! no meu pensar. Aqui em Floripa, os idosos tem um cartão que lhes dão o direito de passarem pela catraca do coletivo e se sentarem atrás sem pagar nada, deixando a parte da frente para os deficientes, pois nosso cartão de passe gratuito, não nos permite ir par trás, assim sendo só podemos nos sentar na frente. Onde sempre os lugares são poucos (5 lugares).Mas a competição é desonesta, para cada deficiente temos uns 6 idosos, falo daqui ok. Eles se protegem, oferecem lugares, enquanto para mim, dificilmente me oferecem, de vez enquando eu meto a cara, acabo perguntando se algum deles tem o tal cartão vermelho, para abrirem a catraca, e me ofereço a passar para trás, daí alguém passa o cartão, senão ficam como miguelão, vendo que preciso sentar, mas nem estão aí. Olho para a parte de trás do onibus, muitos lugares vagos. Recentemente cheguei ao lugar de embarque, e já tinha uma senhora idosa esperando, eu fiquei alí aguardando o onibus chegar. Mas reparei que a senhora estava incomodada, pois ela pensava que eu entraria antes, e isso, ela não deixaria ehehe quando o onibus chegou ela entrou e o motorista disse senhora esse não sairá. Ela voltou, mas eu aí estava mais próximo da entrada onde o onibus pararia e por birra não saí dali, finquei minha Duda, numa saliência do calçamento e fiquei, dando uma de quem não estava nem vendo. A mulher esbarrava e ia tentando me tirar dali, e eu firme pois a Duda daria uma rasteira nela. Podem pensar que fui malina? fui mesmo!. E sabia que ali daria direto na porta. Quando o onibus chegou eu imediatamente entrei, sem piscar, peguei a primeira cadeira, que sempre é para uma pessoa, dando a oportunidade de visulializar a estrada. Hehehe, eu por dentro rindo dessa traquinagem silenciosa, mas ostenciva. Tudo isso por um lugar sem ninguém por perto. Isso dá uma outra postagem, pois sempre procuramos os lugares sem ninguém primeiro, em vez de compartilhar.
Beijos

Um comentário:

Noemi Szcypula disse...

Voce me faz rir muito da sua postagem e como sempre visualizei sua cara da malandra meio que rindo por dentro. Diz que está na adolecencia da 3@ idade? que nada, tá na infancia mesmo, rsrsrsrsr