10 de ago de 2009

"Casos inusitados"

1º Fui ao posto de saúde buscar meus medicamentos que faço uso, diariamente. No retorno próximos de casa vinha eu com a "Duda" minha bengala mágica, como dizem minhas filhas, tomando cuidado pois estava descendo a rua de repente ouvi alguém vindo ao meu encontro dizendo bem alto "Tia" ainda sou tia hehehe embora sendo vovó de uma princesinha maravilhosa. Tia de lá tia de cá, como voce é linda tia! o que tem Tia!, porque voce usa isso Tia! Tia que bom encontrar voce, boa tarde tia, estendi a mão esquerda, pois a direita estava segurando a Duda, o jovem segurou minha mão deu um beijo na costa da mesma e mais uma vez tia que sorriso lindo, tia estou com pena de voce, voce é tão linda não pode enxergar direito.Parece exagero mais foi assim mesmo e muito mais até que consegui reagir e dizer que não preciso de pena! pedi que falasse mais baixo, expliquei que devido a baixa visão os ouvidos ficam sensíveis. Ele atendeu e ficou falando mais baixo. Bom já deu para ver que é um jovem, com retardamento mental né. E além disse é...como direi, meio mendigo. Parei na padaria disposta a comprar algo para ele comer, mas o danado não entrou e nem pediu nada, só queria me elogiar e até pediu que queria ir em casa para me conhecer. Eu disse nada disso não te conheço, então não posso permitir isso. Me disse olha tia se precisar de mim, pode contar comigo sou o Carlinho. tá certo disse eu e saiu todos feliz, como uma criança.

2º Chegando em casa, fui tomar um café da tarde, tinha comprados pães diferente. Na cozinha escutei um barulho estranho, apurei os ouvido e ouvi que era barulho de asinhas batendo, aquele barulhinho que deixa a gente louca. Chegando próximo do mesmo, porque reciclo lixo, lembrei que coloquei lá dentro uma lata vazia de pêssego em calda, então vi uma abelha querendo sair, mais escorregava, muito malina... eu fechei a boca do saco e disse agora fique aí até morrer sua danada. Cheguei até a pia e continuava a escutar a batida das asas da coitadinha, meu coração enterneceu, ou melhor fiquei com remorso, por ser responsável pela morte da abelhinha. Pode? pode!!. Abri o saco e deixei ela que saísse dali, pois ela nada mais do que estava fazendo seu trabalho. Tadinha! ainda bem que tive a consciencia, mesmo sendo um bichinho tão pequenino, mas é filho de Deus né.

3º Esse foi mais perigoso, costumo fazer o almoço, mas não saio da cozinha até terminar tudo, pois preciso de atenção redobrada, por ter visão sub normal. Hoje querendo falar com a minha filha pelo msn, deixei o arroz amarelão (como disse o meu cunhado), parboilizado no fogo alto depois quando ferve abaixo o fogo. Assim procedi. Comecei a sentir cheiro de arroz queimado, senti cheiro de gás, achei muito rápido para ter queimado o arroz, porque pensei que tinha abaixado o fogo. Pedi licença do msn e fui na cozinha chegando lá, o arroz estava em fogo alto e queimado na boca de trás, e a boca da frente ligado saindo o gás. Eu me enganei quando pensei que abaixei o fogo, na real abaixei o outro que estava desligado. Que susto, gás saindo de um e outro com fogo, mas graças a providência não ouve explosão, sei que não posso descuidar de nada, porque hoje eu só faço uma coisa de cada vez, como permite meus olhos. Prometo que terei muito cuidado.
Por hoje chega. Boa Semana a todos, com serenidade e confiando em Deus.

Um comentário:

Noemi Szcypula disse...

Ufa!! que susto! pensei que voce tivesse matado a abelhinha, nunca mais eu conversaria com voce, onde já se viu?
Agora, dá licença que voce é uma vovozona (zona) rsrsrs e tem que ter cuidadado né sua sua, sua, (visão subnormal) agora acho que não se separa mais subnormal. beijos.