18 de nov de 2008

"NINGUÉM MORRE"

Não reclames da Terra
Os seres que partiram...

Olha a planta que volta
Na semente a morrer.

Chora, de vez que o pranto
Purifica a visão.

No entanto, continua
Agindo para o bem.

Lágrima sem revolta
É orvalho de esperança.

A MORTE É A PRÓPRIA VIDA
NUMA NOVA EDIÇÃO.
Emmanuel.

Um comentário:

Osc@r Luiz disse...

Boa noite, Izabel.
Muito obrigado pelas gentis palavras.
Seja sempre muito bem vinda e fique à vontade em levar tudo aquilo que puder ser útil que encontrar nos meus blogs.
Eu e minha esposa somos espíritas também e entendemos a importância de compartilhar as coisas.
Foi um prazer recebê-la e será um prazer tornar a fazê-lo.
Um abraço.